23 de mai de 2012

Fé e Amor!

Olá, depois que escrevemos um post dá vontade de escrever mais e mais!
Eu andei sumida pois estou estudando (NOT) para a prova da OAB próximo domingo. Então tentei focar na prova pois preciso e quero muito passar neste exame! 
Ainda não entrei no assunto religião no meu blog, prefiro mais adiante, mas o que posso adiantar é que desde minha aterrissagem no Mundo Turquia tenho buscado aprender sobre a religião islâmica.
Descobri que eu NÃO sabia NADA sobre o islamismo (ledo engano achar que só porque viu O Clone e assiste o noticiário sabe sobre os muçulmanos e sua cultura) 
Talvez por ignorância e síndrome dos "olhos vendados" - ver somente o que está na nossa frente, o que é IMPOSTO pela mídia e pela sociedade preconceituosa.
E eu era assim...
Hoje em dia, não conheço tudo, mas o que já li e aprendi me fez ter muito respeito e admirar essa religião!
Bom, mas ainda não quero adentrar neste item.
Hoje li em um Blog um trecho da Bíblia, 1 Coríntios 13:

Eu poderia falar todas as línguas que são faladas na terra e até no céu, mas, se não tivesse amor, as minhas palavras seriam como o som de um gongo ou como o barulho de um sino.
Poderia ter o dom de anunciar mensagens de Deus, ter todo o conhecimento, entender todos os segredos e ter tanta fé, que até poderia tirar as montanhas dos seus lugares, mas, se não tivesse amor, eu não seria nada.
...
Quem ama é paciente e bondoso. Quem ama não é ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso.
Quem ama não é grosseiro nem egoísta; não fica irritado, nem guarda mágoas.
Quem ama não fica alegre quando alguém faz uma coisa errada, mas se alegra quando alguém faz o que é certo.
Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência.
...
Portanto, agora existem estas três coisas: a fé, a esperança e o amor. Porém a maior delas é o amor

É no capítulo 13 que o apóstolo Paulo fala sobre o AMOR (em grego ÁGAPE) que em algumas traduções aparece com o vocábulo "caridade"!

O Legião Urbana fez uma música Monte Castelo fazendo referência a esses versículos da Bíblia e à poesia de Camões! 


Vale a pena escutar!
É isso ai, uma ótima sexta-feira para todos! 
Abraços Ela


Aqui outra vez...

Eu novamente, estou com um vazio no peito, uma tristeza, e vim aqui escrever... 
A sensação que eu tenho é que só quem já viveu/vive um amor à distância entende.
Tudo certo entre nós e o nosso amor, com um "pequeno" porém - aprox. 12.000 km nos separam... Eu no Brasil, ele em Londres (e sua família na Turquia) - nosso triângulo "amoroso" rsrs.

Quando leio os blogs das minhas amigas me identifico com muitas coisas que escrevem, que sentem e pelo o que passaram! Não é fácil - isso que estou apenas 3 meses longe do meu amor! 

Quando nos veremos outra vez?!?! 
Se Deus quiser em breve (inshallah) e muito próximo do nosso casamento!
Para isso estamos nos organizando, decidindo os últimos detalhes, planejando e se esforçando muito para esse momento especial para nós, familiares e amigos! 

Vou colocar umas fotinhos afinal "recordar é viver":


Emre & Ela - nosso primeiro Valentine's Day juntos! Em Porto Alegre 






Nesse dia eu cheguei do trabalho e tinha uma rosa e bombons em formato de coração na cama (woin tanto tempo eu não sentia isso - essa emoção - esse AMOR - alias, amor que nem esse eu jamais senti). Então fomos jantar, escolhemos o Aplebees (estava tão totoso o nosso papá) rsrs (impressão minha ou ficamos abobadas quando apaixonadas?!?!?!).


Flores e cartão no meu aniversário
De surpresa chegaram essas flores no meu aniver com um cartão simples mas tão sincero e amoroso. 
Tradução by myself: "Meu amor, minha Ela, eu te amo muito. Feliz aniversário meu bebê!"
PS: tinha que ver a felicidade da minha mãe, ela só falava "isso que é homem romântico" rsrs.

Pois bem, meu amor me deixa assim, repleta de sentimentos bons e feliz! Não posso negar que esse amor é um tanto quanto desafiador (ai estão todas as blogfriends que não me deixam negar - só para constar: idioma, religião, cultura, país, distância...) - MAS me faz bem, me fortalece!

FELICIDADE - olha que coisa maluca (comecei o texto dizendo que estava triste) - sim, tenho momentos tristes, mas quando paro e penso, sou muito grata a Deus por eu já ter encontrado a minha "metade da alma" - ele não me completa, ele me acrescenta e me faz ser uma pessoa mais feliz, muito amada e melhor - e que se vamos esperar algum tempo vai valer a pena!

Realmente não sei o que escrever, já misturei de tudo nesse post, é uma confusão de sentimentos bons, ideias desencontradas! 


É frustante não conseguir traduzir em palavras os sentimentos, só sentindo para saber...


 Obrigada, beijos e um final de semana abençoado!

11 de mai de 2012

Esclarecendo...

Oi pessoal, 

Eu queria fazer umas ressalvas que devia ter feito no primeiro post.

Basicamente falo sobre dois assuntos aqui no Blog: amor e Turquia. 

Esse assuntos são escritos a partir da minha visão, das minhas experiências, etc. 

Não sou dona da verdade e muito menos sei sobre tudo. Logo, quando posto coisas sobre a Turquia sempre procuro me informar, mas muitas vezes as infirmações da Internet e até mesmo minhas percepções não são fidedígnas. 

Até peço, por gentileza, se alguém observar algum erro, me fale que eu corrigirei.

A Turquia é um pais grande, e dependendo da região os costumes mudam, então é difícil falar sobre determinados assuntos se referindo simplesmente "na Turquia acontece assim...". 

Quando escrever minhas experiências vou relatar o que aconteceu comigo e relacionado com os costumes da família do Emre e daquela região em que estivemos/estamos/estaremos...

Em relação a minha história com o Emre, o que escrevo é com intenção de contar um pouco sobre ela, não estou querendo promover e divulgar o romance com turcos, pois eles não são príncipes encantados e muito menos isso é um conto de fadas.

(Não estou dizendo que alguém faça isso - só quero esclarecer mesmo)...

Eu acho que independente da nacionalidade dos seus respectivos amores, em qualquer relacionamento poderá haver empecilhos, dificuldades, diferenças culturais e religiosas...

Comigo não é diferente, e com as outras pessoas que conheço relacionadas com esse Mundo "Turquia" também.

Era isso que eu queria falar, espero que não me entendam mal as que me acompanham aqui, mas isso é para evitar futuros equivocos...

Beijos





7 de mai de 2012

Mais Bursa - Turquia

Olá, hoje quero falar um pouco sobre Bursa - Turquia

Alguns dados da cidade: é uma cidade do noroeste da Turquia, situada na região de Mármara. De acordo com o censo de 2009, a população do conjunto dos distritos urbanos era de 1 854 285, o que faz dela o quarto maior aglomerado populacional da Turquia.

Bursa é famosa pelas suas estâncias de esqui no maciço de Uludağ, pelos mausoléus de sultões otomanos, e pela planície fértil circundante.







Essa foto tirei em um mirante que tem perto dos Túmulos dos Fundadores da Dinastia Otomana. 

 





Dá para ver boa parte da cidade.

Sabores e encantos!

Hoje eu queria falar um pouco sobre o que eu vi e o que eu senti na Turquia em relação à comida!
Minha primeira impressão foi boa, como escrevi nos primeiros posts (falei da refeição no avião, primeira janta e o café da manhã)... 

Em geral eu gostei da comida, mas acredito que alguma coisa não me fez bem pois nos primeiros dias eu tive dor de barriga - acredito que foi a mudança de alimentação, algum tempero. A pimenta não foi pois a família dele praticamente não usa. 

No segundo dia, depois de caminhadas longas no pontos turísticos sentamos no centro e fomos comer o que eu achava ser um simples kebab (doce ilusão)...


Ele me disse: "come, e depois eu te conto o que é"! Eu não tenho frescura e comi... Achei gostoso (mas a fome estava pegando também)...

Após ele me disse que se tratava do Kokoreç (intestino de carneiro) - Aham exatamente isso! Fiz uma carinha de nojo, respirei fundo e passou!






Em um outro momento fomos em uma cafeteria no centro de Istambul e experimentei o delicioso Salep. 




O Salep é uma bebida quente feita dos tubérculos da orquídea. Li que também é feito sorvete.
É uma bebida espessa, como um chocolate quente. 
Quando eu experimentei não sabia do que se tratava, imaginei que fosse feito com chocolate branco (viajei na imaginação). 





Para acompanhar vem uma colherzinha de chocolate (para ficar bem ruim)! Gostei do Salep, ainda mais no friozinho...

Eu comprei uma latinha do Salep para tomar no Brasil, mas já fiz aqui e não gostei (não posso nem sentir o cheiro que me dá um enjoo).




Se você está andando por Istambul vai encontrar vários carrinhos vendendo Kestanes (castanhas assadas)...





É uma boa opçãp para enganar o estomago e é saudável. Para falar bem a verdade não tem muito gosto, mas não achei ruim!







Experimentei também o Börek (massa fina e folheada de espinafre) tem outros sabores também. Minha cunhada que fez, e é delicioso mesmo!







Essa foto peguei da internet, apenas para quem não conhece ter uma ideia de como é o Börek...







Falando um pouco sobre os doces... 

Particularmente não gostei muito dos doces.


 O primeiro da esquerda é o Ekmek Kadayifi. É um pão banhado em calda de açucar com um creme em cima (??). 

O outro doce é como se fosse um sorvete com um creme em cima também. Não sei o nome, se alguém souber me diga... 

Para acompanhar um delicioso Çayı, sem açucar!




Andando na Taksim Meydanı tirei estas fotos:  


 
Bem no canto da direita está o famoso Baklava (é um tipo de pastel elaborado com uma pasta de nozes trituradas, envolvida em massa filo e banhada em xarope ou mel - pode ser com pistache, avelã, sementes de sésamo, etc).
 
Achei doce demais, na minha opinião poderia ter menos mel/xarope. Mas provei em um só lugar, então em outros lugares pode ser menos doce.








Aqui são as famosas Turkish Delights - Lukum. É feito de maisena e açucar. É macio, com consistência de gelatina, coberto com açucar confeiteiro. Tem muitas variedades.








Quando vi essa vitrine eu não resisti e tirei a foto. Olha quantas maravilhas. Mas não provei nada =(

Mas que é bonita é...







É isso, tem outras delícias que experimentei, mas não me recordo no momento! Beijos e até breve...

30 de abr de 2012

Entendendo os poetas...

Espero não parecer uma louca muito menos uma iludida, mas vou tentar falar um pouco sobre o que tenho refletido e o que tem se passado com o meu coraçãozinho (que meigo rs)!



Já faz algum tempo que quando escuto uma música romântica ou até mesmo um poema algumas coisas me passam pela cabeça, coisas que antes não me faziam sentido e nem sequer eu poderia imaginar. 

Vamos lá tentar explicar melhor esses sentimentos: hoje realmente me sinto uma mulher apaixonada e amada (e as coisas que se passaram não se comparam com esse AMOR de hoje). 

Então, quando escuto as músicas paro e reflito "esse cantor/compositor estava com certeza apaixonado quando escreveu ". Digo isso pois os dizeres fazem mais sentido, as palavras se encaixam no meu coração, isso é incrível! E eu fico com aquela sensação,  aquele sorriso (que denuncia qualquer pessoa apaixonada) e penso "eu sei exatamente o que eles estão falando"...


Só sei dizer que é uma experiência muito boa a que estou vivendo hoje (amor verdadeiro X noivado à distância), confabulamos sobre o nosso futuro, temos paciência, respeito mútuo, dedicação, e tentamos não fazer da Distância uma grande pedra no nosso caminho (claro, que por causa dela teremos que desviar um pouco do trajeto, o que levará um tempo a mais, mas o FIM é o mesmo - afinal já sabemos o que queremos)!

Bom, vou fazer uma pausa nesse momento melancolia e colocar um clipe que o Emre disse que seria a nossa música - eu gosto mas tenho outras eleitas como nossas =)



Aqui uns trechos da música:

Quando eu te vi pela primeira vez
Eu vi o amor
E na primeira vez que você me tocou
Eu senti o amor
E depois desse tempo todo
Você ainda é quem eu amo

Parece que nós conseguimos
Olhe o quanto nós chegamos longe meu querido
Nós devemos ter seguido o caminho longo
Nós sabíamos que chegaríamos lá algum dia

Eles diziam, "Eu aposto que eles nunca conseguirão"
Mas somente olhe para nós aqui
Nós ainda estamos juntos e forte

Você ainda é aquele para quem eu corro
Aquele a quem eu pertenço
Você é aquele que eu quero na vida
Você ainda é aquele que eu amo
Aquele com quem eu sonho

Não existe nada melhor
Nós derrotamos o improvável juntos
Eu estou feliz por não termos escutado
Olhe para o que nós poderíamos estar perdendo



Me identifico muito com essa canção! É linda (sou fã da Shania Twain também)...
Sinto que muitas pessoas não acreditam e não entendem esse tipo de relacionamento no qual eu vivo... Não que eu me importe com isso, mas as vezes as pessoas têm o dom de serem desagradáveis e pessimistas,! Eu não perco o meu tempo para tentar explicar coisa alguma! Não tenho que explicar nada, eu sei o que sinto e acredito que o mais importante eu já tenho: o amor recíproco, o apoio das famílias e o carinho dos amigos!

Graças a Deus estamos conseguindo, esperando e nos organizando para ficarmos juntos!










27 de abr de 2012

Surpresa em Bursa

Continuando (AGAIN) o post anterior...

Já estava tudo combinado que haveria um jantar com a família dele. Inclusive a irmã dele viria de Istambul. Ele me disse que seria um jantar especial com toda a família por isso teríamos que estar mais arrumados. Ele queria comprar um vestido para mim, mas não achamos nenhum no shopping. Acabei usando um que levei do Brasil.

Eu ajudei a colocar a mesa, e quando a cunhada dele chegou fiquei com ela na sala junto com a sobrinha (nenhuma delas fala inglês), então “falávamos” em mímica e elas me ensinaram algumas palavras em turco (muito gentis).

Eu estava tranquila, e já tinha esquecido aquelas coisas estranhas que tinha percebido. Quando eu vejo entra o Emre com o pai dele na sala, a sobrinha junto segurando uma bandeja. Todos bateram palmas e falavam alto. Confesso, que não recordo muitos detalhes pois realmente eu fiquei surpresa. Me dei conta de que se tratava de uma celebração de noivado. Sinceramente, até pensei que eles não noivassem segundo as tradições do Islamismo (estava desinformada mesmo).

Levantei e o Emre me disse que não comentou nada para que eu não ficasse ansiosa =D Que fofo! Então fiquei do lado dele e o baba começou a falar alguns dizeres do Alcorão, pegou as alianças e colocou em mim e nele. As alianças estavam amarradas em uma fitinha vermelha (ainda não descobri qual o significado – alguém sabe?). Baba falou mais um pouco e depois cortou com a tesoura a fita. Emre me deu um beijo na testa e todos vieram nos cumprimentar.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
Após cortamos o bolo e jantamos.

 
 
 
 
 
 
No final os homens foram para a outra sala e as mulheres ficaram escutando música e dançando. Me diverti muito e mesmo sem conseguir falar com elas estava super a vontade, aprendendo a dança do ventre, uauuuuu amei!!!!

Segue as fotos....



Eu aprendendo dança do ventre, estava muito atrapalhada rsrs 
É ombrinho para o lado, estalar os dedos (não consigo até hoje), mexe o quadril, sorriso no rosto, bate palma....









Eu e a anne...

















Trouxeram um lenço e amarraram na minha cintura para analisarem se eu sei mexer a "cadeira" rsrs

Observem que todas estão olhando, #medaaaaa



Experiência muito legal, adorei as músicas também!


Essa foi a "surpresa". Fiquei muito feliz. Que Deus continue abençoando o nosso relacionamento!

Indo para Bursa - Turquia


Continuando os últimos posts... Ficamos mais 3 dias em Istambul e fomos para Bursa.
Saímos de Istambul dia 22/02, pegamos um barco e depois um ônibus (não me recordo exatamente quantas horas até chegar lá – que eu lembre umas 2-3 horas – as meninas que conhecem me confirmem). =D

Chegamos na Rodoviária e o “baba” (meu sogro) estava nos esperando. Primeira vez que vi ele. Como estávamos em uma fila de carros, cumprimentei rapidinho (merhaba baba "oi papai" - Emre me ensinou tudo antes rsrs) e entramos no carro. Achei o baba super sério. Em todo percurso ele e o Emre foram conversando (ahn??? Não entendi nada)... E eu quietinha, compreendi pois fazia muitos meses que eles não se viam.

Primeiras impressões de Bursa: gostei muito da cidade, não tem “aquela” beleza deslumbrante de Istambul, mas é uma cidade bonita, calma, limpa.

Foto panorâmica.


Na primeira noite, teve uma janta, conheci meu cunhado com sua esposa e filha. Claro, que estava um pouco ansiosa, pensa bem a família toda se reuniu para conhecer a “estrangeira” da família, você se sente o centro das atenções (eu não me sinto a vontade com isso). Eles se esforçaram muito para eu me sentir a vontade e acabei ficando mais tranquila. Eu gosto muito de conversar com as pessoas e essa “barreira” do idioma é horrível, pois não podia me expressar da maneira que eu gostaria.

Jantar em família.


Fomos dormir. Eu no quarto e o Emre na sala (dormir no mesmo quarto só depois do casamento). Outro detalhe, me falaram (não sei se isso se confirma para toda a Turquia) que os homens só costumam levar a namorada na casa dos pais quando o relacionamento é sério e com boas intenções, pode ser devido à cultura e também à religiosidade (novamente, isso não é uma regra, mas pelo o que eu vi da família do Emre, eles são bem religiosos e levam a sério certos costumes). 
Café da manhã.
Não reparem, todos com cara de sono rs (e eu ainda me acostumando com o fuso horário - 5 horas).

Para quebrar o “gelo” o baba sentou do meu lado e pediu para tirar uma foto comigo (que querido, não?).


Saímos e eu conheci alguns lugares em Bursa. Aproveitei e comprei alguns lenços (super baratos). Para se ter uma ideia, comprei pashmina (é assim que se escreve? Procurei no Google mas achei escrito de várias formas) por R$ 5,00, R$ 10,00.

Desde que chegamos na Turquia achei estranho algumas atitudes do Emre com a família dele, sabe quando tu sente que estão te escondendo algo? Mesmo eles falando em turco senti que eles combinavam algo. No mesmo dia fomos ao shopping e ele comprou abotoaduras para a camisa dele (ahn??? Para quê???). Não comentei nada.
Outro detalhe, quando ainda estávamos em Istambul a irmã dele pegou a minha mão e colocou a aliança dela no meu dedo (?), o Emre me explicou que ela queria diminuir a aliança dela (aham rsrs)... Nesse mesmo dia "descobri" qual era a surpresa (já estava desconfiando).
Um parênteses: falando em shopping e compras, achei os preços muito bons. Comprei duas calças jeans de veludo (lindas) por R$ 36,00 cada uma. Fui ver o preço aqui no Brasil e uma calça semelhante custa R$ 100,00 na Renner ou C&A.

Aqui uma foto desse dia, almoçamos no centro de Bursa.













Eu não sei o nome dessa comida, mas era muito bom. Parecido com um pastel. Claro que não se compara. O Emre mesmo disse que o Pastel do Brasil é muito melhor e já perguntou se eu sei fazer rsrs. Eu disse que aqui se compra a massa do pastel pronta no supermercado. Acho que vou ter que aprender a fazer essa massa =)




Já vou escrever a continuação desse post... Contando a surpresa daquele dia! Beijos Ela.

25 de abr de 2012

Acordando em Istambul

Continuando o post da chegada na Turquia...

Saímos do aeroporto e pegamos um “Táxi”, na verdade não era um Táxi credenciado. O Emre me explicou que lá tem esse tipo de serviço, tivemos que ser discretos e o motorista agiu como se fosse nosso amigo quando embarcamos para que os outros taxistas não desconfiassem.
O Emre me explicou que sairia pela metade do preço, então antes de embarcarmos no Brasil ele falou com a irmã dele que contratou os serviços desse transporte.
Bom, entramos no carro, e já comecei a gostar das minhas primeiras impressões de Istambul, achei bonita a cidade de noite, as avenidas, as luzes...

Chegamos em casa (o pai dele estava em Bursa e a irmã e mãe estavam no apartamento da outra irmã em Istambul também), logo, estávamos sozinhos e famintos. Então, ele avisou os familiares que chegamos bem e a irmã dele pediu uma tele-entrega de comida.



Até hoje eu não sei que comida era essa. Se alguém souber escreve ai. Ele me ensinou a comer: coloca a salada no meio desse "pão" (?), enrola, parte ao meio, e come. Hum hum delícia. Amei, levemente apimentado, mas muito saboroso. Junto com a refeição veio o Ayran (iogurte salgado que os turcos têm costume de tomar junto das refeições – pelo menos me informaram isso). Confesso que não virei fã do Ayran, Emre tomou o meu e eu tomei suco rsrs.

No outro dia (mesmo super cansada e tentando me recuperar da viagem que no total foram mais de 24 horas em função) acordei cedo e fui olhar pela janela (super curiosa para ver a cidade pela manhã). Tirei esta foto:



Esta foto é quase em frente à Estação de Trem de Erenköy – foi tirada da janela do apartamento.
Após, nos arrumamos e fomos tomar café da manhã na casa da irmã – nesse momento conheceria a família dele (parte). Confesso que deu frio na barriga sim.


Chegamos lá, me receberam com um sorriso, bem simpáticas, minha sogra muito querida, me dando beijinhos.
Tinha esquecido de comentar, mas levamos presentes. Emre comprou algumas coisas no Brasil e levou para eles. E eu, como já tinha lido outras meninas escreverem que seria interessantes levar algumas lembrancinhas, resolvi comprar uns “mimos” e dar de presente.
Conversei com o Emre, no Brasil, e ele disse que não era preciso que eu comprasse nada, mas se eu realmente quisesse poderia comprar somente para as mulheres, nada de dar presente para os homens.
Para as 2 irmãs e cunhada: um kit da Natura de Castanha.
Para a sogra: sabonete líquido de pitanga.
Para a sobrinha: uma caixinha de madeira decorada (porta bijuteria).
Levei também guaraná e uns enfeites de pedras brasileiras.

Elas me agradeceram, acredito que gostaram.

Bom, depois da troca de presentes fomos tomar café da manhã.


Genteeee, que mesa enorme, parecia um banquete: tomate, pepino, 5 tipos de queijos, diversos tipos de pão, azeitonas, chá, um pão quente com queijo (tipo uma pizza – não sei que comida era  - mas era muito bom)...

Essa foto peguei da internet, mas é para quem não conhece ter ideia de como é o café da manhã de muitos turcos!


Estava ainda tímida, comi pouco, não entendia NADA o que falavam, o Emre se esforçava em traduzir algumas coisas para mim, e eu bem quietinha tentando compreender o que confabulavam... UNS DIAS DEPOIS EU ENTENDI... (CONTO EM UM POST MAIS ADIANTE).

Foi muito boa a primeira impressão da família dele (assim como nos seguintes encontros)... Apesar de todos os dificuldades do idioma, me senti acolhida, bem quista, e confortável.

O post já está enorme, continuo amanhã sobre minhas primeiras impressões em Terras Turcas!!!
Beijos

Torre da Donzela - Kız Kulesi

Depois de passear por Istambul, em um final de tarde, resolvemos visitar  a Torre da Donzela (Kız Kulesi).



Breve história:
É uma construção em uma ilhota no estreito do Bósforo ao largo de Üsküdar.
A torre foi originalmente construída em 408 a.C. pelo general ateniense Alcibíades para controlar o movimento dos navios persas no Bósforo.
 

O imperador bizantino Aleixo I Comneno aumentou-a e transformou-a numa fortaleza em 1110 d.C..

Nesta foto estou sentada em um banco que tem na volta da Ilha. A vista é linda.
 
 


Hoje em dia funciona como café e restaurante.

Essa foto é do teto do Café que tem no último andar da Torre.



Um pouco da Lenda do lugar...
Uma das lendas turcas mais populares conta que um sultão tinha uma filha que adorava. Um dia, um oráculo profetizou que ela seria morta por uma cobra venenosa no seu 18º aniversário. Num esforço para evitar a perda prematura da filha, o sultão colocou-a longe da terra, para que ficasse longe de cobras, e mandou construir a torre, onde a visitava frequentemente. No 18º aniversário da princesa, o sultão levou um cesto de frutos exóticos como presente. Assim que a princesa se aproximou do cesto, foi mordida por uma áspide que se tinha escondido entre as frutas. A princesa acabou por morrer nos braços do seu desgostoso pai, que assim viu concretizada a profecia. Supostamente o nome de Torre da Donzela tem origem nesta lenda.
Fonte: Google.

Olha a vista maravilhosa do último andar... Sensação indescritível!
 


Eu e Emre. Detalhe: ele nunca tinha visitado a Kız Kulesi. Adoramos, vale a pena ir em um final de tarde, tomar um chá ou café, e ver o pôr do sol.


Espero que tenham gostado! Um bom dia para todos, beijos.

Atravessando o oceano...

Viagem longa a cansativa. Continuando o último post... Acordei, olhei pela janela e tive essa surpresa.
 



O avião atravessa o deserto do Saara, na África. É lindo, por vários minutos fiquei grudada na janelinha observando tudo. Incrível.

Mais adiante, para minha surpresa outra maravilha.



Emre me falou que são as Ilhas Gregas.
 
Aqui uma foto do nosso café da manhã/almoço:


A refeição era omelete, salada turca e frutas... bem gostoso!
 
Realmente a viagem é cansativa, depois esperamos quase 1 hora para pegar as malas. Resultado: 
 
 

Sem falar em mais 40 minutos no carro até chegar no lado Asiático - Kadıköy... 
Mas vale a pena...
Beijos

24 de abr de 2012

Últimos dias no Brasil

E o tempo passou rápido. Queria ter aproveitado mais os dias com meu amor, mas eu tinha que trabalhar no período da tarde, então tínhamos somente de manhã e de noite...

Nós cansados... 
 
 


Depois o Emre foi lá para a minha casa. Ficamos lá até a nossa viagem para a Turquia. Foi muito bom, ele conviveu um pouquinho com minha mãe e meu irmão. Minha mãe fazia de tudo para tratar ele bem. Foi difícil a comunicação da minha família com ele, mas nessa hora vale mímica e linguagem corporal, quando não adiantava minha mãe falava em português mesmo na esperança que ele entendesse, e ele respondia em inglês rsrs... Ah, o último recurso da minha mãe foi manter o computador na tela do Google Tradutor e andar com ele para cima e para baixo rsrs.

Sexta-feira dia 17/02 arrumanos nossas malas e fomos para São Paulo. Minha mãe foi conosco, esperou fazermos check-in, e chorou como se eu não fosse voltar em uma semana... (imagina como será quando eu for mesmo...).

Chegamos em São Paulo e esperamos só 10 HORAS para o pegarmos o vôo da Turkish Airlines... Meu Deus, nunca mais deixo um intervalo tão grande, na realidade eu estava receosa pois era véspera de carnaval e fiquei com medo do caos aéreo, não podia nem imaginar perder o nosso vôo para Istambul. 

No aeroporto ele deixou as malas no guarda volumes (sim, ele teve que fazer outro check-in lá, pois comprou os tickets separados), andamos de um lado para o outro, almoçamos, ele dormiu nos meus braços, eu dormi nos braços dele, jantamos, caminhamos mais, esperamos na fila do check-in, isso TUDO deu um cansaço!!!

Embarcamos, dormimos, e quando acordei já tive uma surpresa linda...

City Tour...

No sábado dia 11/02/2012 combinei de passearmos no ônibus linha turismo que percorre toda cidade, minha mãe foi junto, e ele conheceu ela.
Foi muito legal, minha mãe já adorava ele e gostou mais ainda. Claro, os dois meios tímidos e eu intermediando a conversa, mas foi bacana esse primeiro contato.

Foto 1 – Minha cidade.



No domingo fomos a uma churrascaria (CLARO que não poderia deixar de levá-lo). Encontramos o Maicol, um amigo que o Emre não via a muitos anos, desde os velhos tempos de Londres.

Foto 2 – Nós na Churrascaria Crioulo. Estava muito bom. Ele adorou o churrasco.



No mesmo dia conhecemos (ele) outros pontos turísticos da cidade.

Foto 3 – Parque Marinha do Brasil.


Foto 4 – Parque Marinha do Brasil.


Foto 5 – Levei o Emre para tomar suco na Lancheria do Parque (um simples bar famoso pelos sucos, torradas “misto quente”, vitaminas) que os gaúchos amam... Bom, ele ficou impressionado, tirou foto da máquina que espreme a laranja (??? Será que não existe isso lá ???)...



Foto 6 – Emre conheceu “a rua mais bonita do mundo” (isso mesmo – coloquem ai no Google e vai aparecer essa rua – parece que foi eleita em um concurso de fotos). 



Foto 7 – Olha a Rua vista de cima... 



Que dia agradável, tão bom estar junto do meu amor... queria que não acabasse!

Conhecendo melhor o Brasil

Estou adorando escrever aqui no Blog. É um momento que eu paro, reflito, e todas lembranças vêm na mente. É bom, me faz organizar as ideias e minha mente... (não sei se alguém vai me entender rsrs...)!

Nesse post quero falar sobre a estadia dele no Brasil.

Foram 10 dias que passaram muito rápido, mas deu para mostrar um pouco da cidade, ele conheceu minha mãe e irmão, e reviu alguns amigos que conheceu em Londres a 10 anos atrás, enfim, foi bom demais.

Foto 1: nós no Mercado Público Municipal comendo um sorvete maravilhoso na famosa Banca 40.


Nesse dia passeamos pelo centro, tentamos ir em alguns museus mas não tinham exposições, então decidimos parar e comer sorvete, afinal estava um calor de 40º. 

Foto 2 – resolvi levar ele para comer comida típica do Brasil. Apesar de estarmos no Sul, quis que ele experimentasse comida nordestina. Então levei ele em um restaurante típico do nordeste. E pedi macaxeira com carne de sol (EU AMO)!!!


Que pena que ele não gostou rsrs eu adorei e comi quase TUDO.

Foto 3 – Nós no restaurante, todo decorado, muito lindo!




Continuo no próximo post... beijos